G.A.C. Brasil

BNDES reabre Plano Safra com R$ 3,6 bi

Plano Safra

BNDES reabre Plano Safra com R$ 3,6 bi

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou a reabertura do protocolo para novas operações de financiamento dentro do Plano Safra 2022/2023, que continuará em vigor até o próximo dia 30, disponibilizando um total de R$ 7,6 bilhões em recursos para crédito agrícola. Essa iniciativa visa fortalecer e impulsionar o setor agrícola brasileiro por meio de diferentes programas de crédito.

Dos R$ 7,6 bilhões disponibilizados, R$ 3,6 bilhões são destinados a dez programas específicos de crédito agrícola, destacando-se o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), o Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA) e o Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras (Moderfrota). Além desses, há também a oferta de R$ 4 bilhões para financiamento com opção de taxa fixa em dólar, ampliando as possibilidades de acesso ao crédito para os produtores rurais brasileiros.

As linhas de crédito visam facilitar o investimento tanto na agricultura familiar quanto na empresarial, possibilitando a aquisição de máquinas e equipamentos modernos, a execução de projetos de ampliação das atividades agrícolas, a modernização da produção com tecnologias inovadoras, além de iniciativas voltadas para a sustentabilidade ambiental. Esses recursos são essenciais para promover o aumento da produtividade no campo, melhorar a infraestrutura rural e fomentar práticas agrícolas mais sustentáveis e eficientes.

A reabertura do protocolo de financiamento do BNDES no âmbito do Plano Safra representa um apoio crucial ao setor agropecuário brasileiro, contribuindo para a geração de emprego e renda no campo, fortalecendo a economia rural e garantindo o abastecimento interno de alimentos. Essa iniciativa também está alinhada aos esforços do governo em promover o desenvolvimento econômico e social do país, especialmente em um contexto de desafios e oportunidades no cenário agrícola global.

Fonte: BNDES 

Compartilhe: