Brasil leva singularidade, inovação e sustentabilidade à Expo Dubai

Pavilhão brasileiro, organizado pela Apex-Brasil, deve receber milhares de visitantes. Perspectiva é gerar US$ 500 milhões em negócios em exportações e US$ 10 bilhões em investimentos

Até 31 de março de 2022, ao longo de seis meses, o Brasil se reúne com outras 191 nações, nas instalações de pavilhões nacionais distribuídos em uma área de 4.380 m2, localizada entre Dubai e Abu Dhabi, para expor as novidades nos âmbitos singular, inovador, tecnológico e sustentável em diversos setores econômicos, a cerca de 25 milhões de pessoas que devem circular pelo megaevento.

Considerado o maior evento global de posicionamento dos países no cenário internacional, a Expo Dubai teve início em 1º de outubro e a expectativa é que gere cerca de US$ 500 milhões de negócios em exportações para o Brasil, e em torno de US$ 10 bilhões em investimentos, com potencial para gerar mais de 20 mil novos empregos.

Organizada em três pavilhões, a Expo Dubai foi montada com base na sustentabilidade, sendo neste ano o tema central “Conectando Mentes, Criando o Futuro”. Cada pavilhão será um espetáculo à parte, com programação cultural e atividades que visam promover geração de negócios internacionais e atração de investimentos.

O Pavilhão do Brasil, organizado pela Agência Brasileira de Exportação e Investimentos (Apex-Brasil), tem quase 4 mil metros quadrados e está instalado no distrito Sustentabilidade – um entre os três distritos temáticos da Expo (os outros são Oportunidade e Mobilidade). Essa “casa brasileira” vai mostrar aos mais de 3,5 milhões de visitantes ao longo de todo o evento o que o país tem de melhor em cultura, tecnologia, gastronomia, recursos naturais e muito mais.  O projeto arquitetônico do pavilhão já é, em si, uma grande vitrine para o que o Brasil tem de mais moderno e inovador em termos de arquitetura. “A concepção do pavilhão é a prova viva dos avanços tecnológicos do país, com soluções sustentáveis”, pontua em nota a Apex-Brasil.

Na região do Golfo, o Brasil é considerado um dos grandes parceiros comerciais de diversos países, reconhecido pela garantia de segurança alimentar, sanitária e jurídica. Entre janeiro e junho de 2021, o país teve superávit de US$ 512,2 milhões no comércio com os Emirados Árabes Unidos (EAU), ou seja, foram exportados mais produtos do Brasil do que importados dos EAU.

Atrações

Ao longo de toda a Expo, o pavilhão brasileiro vai receber delegações das três esferas públicas (federal, estadual e municipal), que desenvolverão diversos tipos de atividades; empresários, investidores, startups, empreendedores e representantes setoriais.

Há grande expectativa em relação ao sucesso de visitações do pavilhão brasileiro, visto que, em 2015, foi o segundo mais visitado, ficando atrás apenas da Itália, país sede naquele ano.

O setor de biocombustível e bioeletricidade terá amplo destaque. A Unica, maior organização representativa do setor de açúcar e etanol do Brasil, vai apresentar a produção brasileira de biocombustíveis e etanol, a neutralização de carbono na indústria brasileira de açúcar e álcool. Será apresentado o que o país tem investido em bioeletricidade (para automóveis elétricos), e as políticas de incentivo de consumo do etanol do país além dos benefícios deste biocombustível para o meio ambiente.

Terá destaque ainda no pavilhão o Programa Espacial Brasileiro e, relacionado a ele, a tecnologia e inovação do Brasil neste campo, a partir de apresentação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e da Agência Espacial Brasileira (AEB) no Pavilhão do Brasil. A Embraer, por sua vez, promoverá uma experiência imersiva apresentando a história da aviação e da tecnologia no Brasil, trazendo alguns dos projetos mais avançados para um futuro próximo focado em viagens limpas de alta tecnologia.

Para mais informações sobre a Expo Dubai 2020, acesse:

https://www.expo2020dubai.com/

https://www.brasilexpodubai2020.com/