Brasil

Embrapii terá Business Finland como parceira em inovação tecnológica

Embrapii terá Business Finland como parceira em inovação tecnológica

Acordo com agência de fomento do governo finlandês foi oficializado durante reunião da Mobilização Empresarial pela Inovação

 

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) assinou na última sexta feira, 25, um Memorando de Entendimento (MOU) com a Business Finland – agência de fomento do governo finlandês, para intercâmbio de conhecimento, tecnologia e soluções produtivas.

 

O acordo com vigência inicial de três anos, tem como objetivo promover a cooperação entre os dois países em projetos de pesquisa e inovação. Os projetos deverão propor soluções inovadoras em áreas estratégicas para a indústria brasileira, como economia circular, bioeconomia, energia limpa, descarbonização, mineração sustentável, digitalização da economia. O instrumento apoiará também a demanda por internacionalização das empresas brasileiras e finlandesas.

 

Segundo José Luis Gordon, presidente da EMBRAPII, esta parceria com a Finlândia poderá contribuir para o fortalecimento de projetos entre empresas brasileiras e finlandesas, ou seja, juntar as competências para agregar valor à indústria nacional, fazendo parcerias internacionais, dando maior visibilidade aos projetos da nossa indústria e promovendo a expansão de mercados.

 

A ideia do acordo surgiu a partir da imersão de uma comitiva brasileira na Finlândia, promovida pela CNI – Confederação Nacional da Indústria, que possibilitou a construção da parceria, conta Gordon. Ele ressalta que, com a assinatura deste MOU, a entidade cumpre mais uma vez seu papel de promover a interação entre empresas, inclusive de países distintos, para o intercâmbio de conhecimentos e tecnologias.

 

Finlândia: destaque mundial em inovação

 

Atualmente, a Finlândia está entre as dez referências mundiais em inovação tecnológica. No ranking mundial do Índice Global de Inovação de 2022, o país alcançou o 9º. lugar, por adotar soluções inovadoras de abordagem estrutural e pela visão global no setor produtivo, aplicáveis tanto a economias desenvolvidas quanto às emergentes.

Fonte: Embrapii

Compartilhe: