G.A.C. Brasil

MCTI e Embrapii anunciam R$ 180 milhões para Centros de Competência em tecnologia

MCTI e Embrapii

MCTI e Embrapii anunciam R$ 180 milhões para Centros de Competência em tecnologia

Na última quarta-feira (24), em um evento realizado em Brasília, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) anunciou o investimento de R$ 180 milhões em três instituições selecionadas para estabelecer Centros de Competência. Esses centros terão foco no desenvolvimento de pesquisas em tecnologias como 5G e 6G, tecnologias imersivas aplicadas a mundos virtuais e Open RAN (Redes de Acesso por Rádio Aberto).

As três organizações escolhidas para sediar os centros são o Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD) em Campinas (SP), o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel) em Santa Rita do Sapucaí (MG) e o Centro de Excelência em Inteligência Artificial da Universidade Federal de Goiás (CEIA-UFG) em Goiânia (GO).

Cada um dos Centros de Competência receberá um investimento de R$ 60 milhões do Programa Prioritário PPI IoT/Manufatura 4.0. Esse financiamento será utilizado ao longo de 42 meses para fortalecer a competência científica e tecnológica em pesquisa, desenvolvimento e inovação, além de promover a formação e capacitação de recursos humanos, bem como atrair e criar startups.

Essa iniciativa é inédita no Brasil e está previsto que outros seis Centros de Competência sejam anunciados em todo o país ainda este ano.

Durante o anúncio do investimento, o presidente interino da Embrapii, Igor Nazareth, destacou que os Centros de Competência irão promover a construção de conhecimento e se tornar referências nas pesquisas de tecnologias de ponta, essenciais para a posição do país na economia mundial. Ele ressaltou o objetivo de inserir o Brasil no mapa global da inovação e torná-lo um destaque em pesquisas.

A ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, enfatizou que essa iniciativa visa apoiar o desenvolvimento de soluções tecnológicas para atender às diversas demandas da sociedade. Ela ressaltou a importância de dominar o conhecimento e apresentar soluções para os desafios contemporâneos, além de posicionar o Brasil como uma referência mundial na produção de conhecimento e desenvolvimento de tecnologias, garantindo a autonomia e aproximando o país das economias mais avançadas.

Os três primeiros Centros de Competência foram selecionados com as seguintes áreas de atuação:

Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPQD): O CPQD irá focar no desenvolvimento de tecnologias abertas para infraestrutura de redes de telecomunicações, especificamente no Open RAN. Isso permitirá que as empresas se especializem em software e hardware abertos, aumentando a oferta de equipamentos e soluções para as operadoras de rede.

Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel): O Inatel será o Centro de Competência para a área de Tecnologia e Infraestruturas de Conectividade 5G e 6G. O instituto continuará suas pesquisas no 5G para aprimorar a qualidade da rede, além de trabalhar no desenvolvimento de normas e padrões para a próxima geração de redes móveis, o 6G. Essa nova tecnologia de rede poderá viabilizar a implementação de aplicações que exigem altas taxas de transferência e baixa latência.

Centro de Excelência em Inteligência Artificial da Universidade Federal de Goiás (CEIA-UFG): O CEIA-UFG foi selecionado como o Centro de Competência para Tecnologias Imersivas Aplicadas a Mundos Virtuais. Nesse centro, serão realizadas pesquisas em tecnologias que simulam o mundo físico por meio da realidade virtual, proporcionando uma imersão sensorial completa e criando experiências realistas.

Fonte: MCTI

Compartilhe: