Ministro Marcos Pontes fala sobre aumento do investimento em ciência para retomada da economia

Entre as ações do MCTI em combate ao coronavírus, ministro Marcos Pontes cita aumento de investimentos em ciência e tecnologia para superar a crise, além de apoio do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico

Durante a reunião da comissão da Câmara dos Deputados de acompanhamento às ações de combate ao coronavírus, realizada na última semana, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, defendeu que o aumento de investimentos em ciência e tecnologia vai criar um legado para o país superar crises e indicou que, o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) é uma ferramenta que pode ser usada para essa finalidade.

Segundo Marcos Pontes, o Brasil já conta com um sistema muito bem estabelecido de ciência, tecnologia e inovações agora sendo criado. Mas precisa de um apoio em termos de orçamento, e o FNDCT é uma fonte feita para isso, pois embora o fundo venha de recursos privados, ele ainda possui 90% do seu valor em reserva de contingenciamento. O ministro acrescenta que há uma necessidade de ter uma liberação maior disso.

O ministro avalia tal investimento como um passo para desenvolver um sistema nacional de inovação e atrair investimentos privados, compara o investimento do Brasil em ciência, tecnologia e inovação com países como Israel e declara que nós precisamos  de um motor de partida, e para isso é preciso investimento para a pesquisa básica, que é essencial para gerar ideias e conhecimentos para a inovação, e nos sistemas de inovação das nossas startups, para ajudar essas empresas a passarem na “zona da morte’”.

Por fim, Marcos Pontes apresentou aos parlamentares as ações empreendidas pelo MCTI no combate à Covid-19, como a criação, ainda em fevereiro, da RedeVírus MCTI, um comitê de especialistas para alinhar iniciativas; a participação do país em comitês internacionais e no projeto Acelerador de Vacinas; aprovação da CTNBio de testes no Brasil com a ‘vacina de Oxford’ e os testes com a nitazoxanida, que já alcançaram 230 dos 500 voluntários necessários.

A ciência permanece se demonstrando como a saída para crise. Os países mais desenvolvidos do mundo representam a grande importância do investimento contínuo em ciência e tecnologia, independente do momento em que estejamos vivendo.

Como consultoria especializada no fomento à inovação, a GAC Brasil incentiva e apoia a sua empresa na inserção de um modelo de gestão da inovação eficaz, no desenvolvimento de projetos, na obtenção de recursos reembolsáveis e incentivos fiscais; que por sinal se tornam grandes aliados, principalmente neste momento de crise.

Entre em contato conosco para receber mais informações.

Nossos canais:

E-mail contato@group-gac.com.br

Telefone (11) 4858-9350 e whatsapp (11) 99221-9019.

 

Facebook
Twitter
LinkedIn
Email

Artigos em Relacionamento

Chamada Pública para pesquisa no Sistema Amazônico de Laboratórios Satélites

Chamada Pública para pesquisa no Sistema Amazônico de Laboratórios Satélites

Chamada do MCTI em parceria com o CNPq é a primeira a financiar pesquisas que utilizarão laboratórios flutuante e terrestre do Sistema O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) abriram uma nova chamada, voltada à pesquisa no Sistema Amazônico de Laboratórios Satélites (SALAS). Com

chamadas nas áreas de saúde e biotecnologia

MCTI, FINEP e CNPq anunciam chamadas nas áreas de saúde e biotecnologia

Editais divulgados em transmissão ao vivo contam com recursos do FNDCT Na última quinta-feira (28), o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações anunciou, junto aos presidentes da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), novas chamadas públicas com uso do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Startups japonesas buscam emplacar parceiras e negócios no Brasil

Startups japonesas buscam emplacar parceiras e negócios no Brasil

Selecionadas pela Jetro São Paulo por meio do programa ScaleUp in Brasil, empresas são das áreas de energia, tecnologia limpa, agro, finanças e saúde As startups japonesas, que já davam passos tímidos em direção ao mercado brasileiro, foram selecionadas pela Japan External Trade Organization (Jetro) e chegam ao Brasil com o objetivo de buscar parceiros

pt_BRPortuguese
Rolar para cima