Ministros do G20 assinam acordo para acelerar a transformação digital

Ministro do MCTI, o astronauta Marcos Pontes é um dos representantes brasileiros no evento e compartilhou ações do Governo Federal para a transformação digital no país

Em reunião ministerial do G20 para o desenvolvimento e inovação, em Trieste (Itália), os ministros assinaram uma declaração conjunta em que identificam 12 ações para acelerar a transformação digital da economia e governos. Entre os representantes do Brasil no evento, está o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, o astronauta Marcos Pontes.

Os 12 princípios destacam temas como a transformação digital para o crescimento sustentável, uso da inteligência artificial para promoção de startups; medição, prática e impactos da economia digital; conscientização e proteção do consumidores; proteção e empoderamento de crianças no ambiente digital; apoio a inovação para cidades inteligentes; conectividade e inclusão social; livre fluxo de dados entre os países; digitalização de serviços públicos; identidade digital; regulamentação ágil; e transformação da Força Tarefa para Transformação Digital do G20 em um Grupo de Trabalho para esse fim.

Marcos Pontes destacou os desafios do Brasil para trazer a transformação digital e combater desigualdades sociais, assim como gerar mais empregos e desenvolvimento econômico e social. “Uma nação do tamanho do Brasil tem diferenças sociais que devem ser levadas em conta quando se pensa em digitalização. Nós temos no ministério muitas estratégias para a transformação digital, internet das coisas, inteligência artificial e todas trabalham juntas para trazer um ambiente melhor a empresas e startups”, disse.

Entre outros temas apresentados pelo ministro no evento estão a Inteligência Artificial, que permitirá melhorias nos setores da indústria 4.0, da agricultura, da saúde e das cidades inteligentes; a Estratégia Brasileira de Transformação Digital (e-Digital), que tem promovido o uso de tecnologias digitais na transformação da produtividade das empresas, no desempenho do governo e na capacitação que possibilita a inclusão social na era digital.

Sobre o G20

O G20 é formado por representantes dos países que possuem 90% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial e dois terços da população do planeta.  O grupo foi criado com o objetivo de enfrentar os desafios do sistema financeiro internacional. A atual presidência do grupo está com a Itália, anfitriã da Reunião Ministerial de Economia Digital em que participa o ministro Marcos Pontes. O MCTI é membro da Força Tarefa da Economia Digital (DETF) do G20 e atua por meio da Secretaria de Empreendedorismo e Inovação (SEMPI) e da Assessoria Especial de Assuntos Internacionais (ASSIN).

Acesso o documento disponibilizado na página do G20: https://bit.ly/3iBcltV

Fonte: Governo Federal

Facebook
Twitter
LinkedIn
Email

Artigos em Relacionamento

Chamada Pública para pesquisa no Sistema Amazônico de Laboratórios Satélites

Chamada Pública para pesquisa no Sistema Amazônico de Laboratórios Satélites

Chamada do MCTI em parceria com o CNPq é a primeira a financiar pesquisas que utilizarão laboratórios flutuante e terrestre do Sistema O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) abriram uma nova chamada, voltada à pesquisa no Sistema Amazônico de Laboratórios Satélites (SALAS). Com

chamadas nas áreas de saúde e biotecnologia

MCTI, FINEP e CNPq anunciam chamadas nas áreas de saúde e biotecnologia

Editais divulgados em transmissão ao vivo contam com recursos do FNDCT Na última quinta-feira (28), o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações anunciou, junto aos presidentes da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), novas chamadas públicas com uso do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Startups japonesas buscam emplacar parceiras e negócios no Brasil

Startups japonesas buscam emplacar parceiras e negócios no Brasil

Selecionadas pela Jetro São Paulo por meio do programa ScaleUp in Brasil, empresas são das áreas de energia, tecnologia limpa, agro, finanças e saúde As startups japonesas, que já davam passos tímidos em direção ao mercado brasileiro, foram selecionadas pela Japan External Trade Organization (Jetro) e chegam ao Brasil com o objetivo de buscar parceiros

pt_BRPortuguese
Rolar para cima