Transformação Digital: 70% dos líderes empresariais entendem que o tema é relevante para 2022, mas apenas 37% consideram aptos a executá-la

Estudo conduzido pelo Instituto FSB Pesquisa escutou 400 líderes e mapeou a maturidade das companhias sobre o tema e as tendências para o próximo ano

Segundo um estudo conduzido pelo Instituto FSB Pesquisa para a consultoria F5 Business Growth, referente a maturidades das companhias sobre o tema e tendências para o próximo ano, apesar de 70% dos líderes empresariais entenderem que a Transformação Digital é um tema relevante para 2022, apenas 37% se consideram aptos a executá-la.

A pesquisa foi realizada com mais de 400 empresários e CEOs de todos os setores econômicos e regiões do Brasil, entre empresas de médio e grande porte.

Além de avaliar a maturidade das empresas em relação à Transformação Digital, o mapeamento teve como objetivo usar como indicador a adoção de práticas para o próximo ano.

De acordo com Renato Mendes, sócio da F5 Business Growth e especialista em negócios digitais, os resultados mostram como a pandemia acelerou a priorização da Transformação Digital na agenda dos líderes brasileiros, “O desafio, no entanto, segue sendo a baixa capacitação para tirar esse plano do papel e garantir uma execução bem-sucedida. Ainda temos uma carência muito grande de mão de obra especializada neste tipo de processo no país”, pondera.

Entre as prioridades da agenda digital dos líderes para 2022, estão, a computação em nuvem (59%), a internet das coisas (39%) e a cibersegurança (31%).

Outro aspecto em destaque foi a baixa adesão dos líderes às práticas da chamada Open Innovation. Quatro em cada cinco das empresas pesquisadas não tem nenhuma relação com startups e apenas 18% delas planejam construir isso em 2022. Corporate Venture Capitals tampouco aparecem com destaque sendo citado por apenas 3% das lideranças.

Mindset digital

A pesquisa revela que numa escala de 0-10, as melhores práticas que os líderes afirmam conhecer e colocar em prática atualmente, são: “Entender que velocidade representa um diferencial competitivo” (8,4) seguido da “Capacidade de tomar decisões baseadas em dados” (8,0) e, empatados, “Conhecimento dos hábitos de consumo dos clientes” (7,3) e “Cultura da experimentação (7,3)”. “Ao menos na teoria, os líderes demonstram saber o que devem fazer.

Com o objetivo de assessorar as empresas para uma gestão ainda mais eficiente dos processos de inovação, lançamos recentemente o MyG.A.C., uma plataforma exclusiva que oferece uma série de vantagens e facilita o dia a dia dos gestores e das empresas na área de fomento à inovação.

Através do MyG.A.C., será possível gerir os processos da Lei do Bem, seguindo a LGPD – Lei Geral de Proteção dos dados.

Outra frente da G.A.C. Brasil alinhada com a transformação digital é contribuir para a implementação de um projeto interno de Inovação Aberta a partir da aplicação de metodologias, ferramentas e abordagens personalizadas, utilizando a plataforma digital Ideation360, para realizar a ideação. Realizamos também chamadas nacionais para o seu processo de inovação aberta.

Entre em contato conosco:

WhatsApp (11) 9-9221-9019 área comercial.

E-mail: contato@group-gac.com.br

Telefone: (11) 4858-9350 – escritório central em São Paulo, capital.

Facebook
Twitter
LinkedIn
Email

Artigos em Relacionamento

Chamada Pública para pesquisa no Sistema Amazônico de Laboratórios Satélites

Chamada Pública para pesquisa no Sistema Amazônico de Laboratórios Satélites

Chamada do MCTI em parceria com o CNPq é a primeira a financiar pesquisas que utilizarão laboratórios flutuante e terrestre do Sistema O Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) abriram uma nova chamada, voltada à pesquisa no Sistema Amazônico de Laboratórios Satélites (SALAS). Com

chamadas nas áreas de saúde e biotecnologia

MCTI, FINEP e CNPq anunciam chamadas nas áreas de saúde e biotecnologia

Editais divulgados em transmissão ao vivo contam com recursos do FNDCT Na última quinta-feira (28), o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações anunciou, junto aos presidentes da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), novas chamadas públicas com uso do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

Startups japonesas buscam emplacar parceiras e negócios no Brasil

Startups japonesas buscam emplacar parceiras e negócios no Brasil

Selecionadas pela Jetro São Paulo por meio do programa ScaleUp in Brasil, empresas são das áreas de energia, tecnologia limpa, agro, finanças e saúde As startups japonesas, que já davam passos tímidos em direção ao mercado brasileiro, foram selecionadas pela Japan External Trade Organization (Jetro) e chegam ao Brasil com o objetivo de buscar parceiros

pt_BRPortuguese
Rolar para cima