Posts

Acordo entre BNDES e Embrapii destinará R$ 170 milhões em tecnologia e inovação

Estimativa é que acordo agregue investimentos totais em PD&I a partir de financiamento privado

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii) assinaram acordo que destina R$ 170 milhões a projetos de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I) de empresas nacionais. O anúncio foi feito durante a COP26.

Serão contempladas com o investimento do BNDES, de forma preferencial, as áreas de sustentabilidade, transformação digital e novas tecnologias para o Sistema Único de Saúde (SUS). A estimativa é que o acordo promova até R$ 510 milhões em investimentos totais em PD&I a partir de financiamento privado à EMBRAPII.

A participação dos recursos do BNDES nos projetos poderá chegar a 50% e não será reembolsável, ou seja, o valor não funcionará como um empréstimo. No caso das grandes empresas (receita anual superior a R$ 90 milhões), a participação será de até 33%. O restante dos recursos será aportado pelas Unidades Embrapii e empresas privadas que participarão do projeto.

Projetos que envolvam empresas da região Norte ou tenham como estudos o bioma da Floresta Amazônica de forma sustentável e inovadora terão tratamento diferenciado na disponibilização dos valores.

A parceria ainda pretende contar com participação de startups para aumentar a gama de produtos oferecidos, o que poderá beneficiar setores econômicos.

Projetos elegíveis

A iniciativa prevê o apoio a projetos de inovação tecnológica aplicada à agricultura, saúde, cidades inteligentes e indústria, tais como automação, IoT, robótica, inteligência artificial e blockchain, além de soluções aplicadas a plataformas de hardware, para o desenvolvimento das tecnologias de 5G, por exemplo.

Serão também elegíveis projetos que promovam a recuperação, reuso e reciclagem de insumos em processos produtivos de empresas, assim como aqueles que desenvolvam materiais metálicos e químicos, por meio de matérias-primas limpas e renováveis, e novos biocombustíveis.

Para atender às demandas do sistema de saúde do país, serão apoiados projetos de elaboração de medicamentos e insumos farmacêuticos ativos, biofármacos, vacinas e kits de diagnóstico, e de tecnologias estratégicas.O desenvolvimento de tecnologias estratégicas para o setor de defesa também será contemplado.

Fonte: IG

Como consultoria especializada, a G.A.C. Brasil ajuda a sua empresa a aproveitar ao máximo os benefícios destinados ao fomento da inovação.

Entre em contato conosco e aproveite para conhecer os serviços disponíveis para a sua empresa, e aumentar o seu potencial inovador:

Nossos canais:

WhatsApp (11) 9-9221-9019 área comercial.

E-mail: contato@group-gac.com.br

Telefone: (11) 4858-9350 – escritório central em São Paulo, capital.

Sem bloqueio, fundo tecnológico vai quase quintuplicar em quatro anos

Levantamento aponta que recursos disponíveis devem saltar dos R$ 2,2 bilhões de 2020 para R$ 9 bilhões em 2024

Segundo estimativa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), os recursos disponíveis do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT) devem saltar dos R$ 2,2 bilhões de 2020 para R$ 9 bilhões em 2024, podendo, em um cenário mais otimista, alcançar R$ 9,9 bilhões.

O crescimento decorre da Lei Complementar 177, aprovada este ano, que impede o governo de contingenciar recursos desse fundo para melhorar o resultado das contas públicas. Nos últimos anos, o FNDCT vinha arrecadando de R$ 6 bilhões a R$ 7 bilhões, mas os recursos não eram totalmente liberados.

De acordo com André Tortato Rauen, diretor de Estudos e Políticas Setoriais de Inovação e Infraestrutura e coautor do trabalho, junto com Priscila Koeller, pesquisadora do Ipea – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, que apresenta os dados e avaliações deste texto, apesar do crescimento, o dinheiro não será suficiente para atender à demanda.

Rauen compara o fundo com a recém-lançada política industrial dos EUA, que vai investir US$ 250 bilhões para fazer frente à concorrência com produtos chineses. Ele acrescenta que o reforço no FNDCT demandará alterações na governança.

Formado por recursos de fundos específicos, como de energia e petróleo, o fundo tinha como característica inicial investir na solução de problemas concretos desses setores. Ao longo do tempo, porém, os mecanismos de decisão foram sendo alterados, de forma que no período mais recente as decisões são tomadas pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), por meio da Finep – Financiadora de Estudos e Projetos.

O diretor-presidente da Embrapii, Jorge Guimarães, afirmou que vai pleitear recursos, agora que organizações sociais foram incluídas no rol das possíveis financiadas pelo FNDCT. Ele argumenta que os recursos poderão dar forte impulso à inovação industrial, um objetivo original da criação do fundo.

Conforme o estudo, ao longo do tempo, o FNDCT obteve receitas crescentes. Em 2002, partiram de 0,02% do Produto Interno Bruto (PIB) até chegar a 0,1% do PIB em 2020. No entanto, em razão dos contingenciamentos, a parcela não executada do orçamento chegou a 89,4% em 2020. Os recursos estavam sendo direcionados à reserva de contingência.

A partir do fim do contingenciamento, o Ipea estimou as receitas do FNDCT em dois cenários: um primeiro, baseado nas previsões de arrecadação constantes do projeto de lei de orçamento de 2021. Nesse, a execução do FNDCT chegaria a R$ 9 bilhões em 2024.

No segundo cenário, no qual o ponto de partida é a estimativa de receita primária líquida que está na mensagem que acompanhou o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2022, as despesas executadas do FNDCT chegariam a R$ 9,9 bilhões em 2024.

A verba para a aplicação é de extrema importância para que o Brasil siga na mesma direção das principais economias do mundo, de modo a fortalecer suas estratégias de desenvolvimento, através da tecnologia e inovação.Tal investimento induz grandes mudanças e aumento de competitividade na sociedade brasileira.

Desta forma, é necessário, além de um aumento nos recursos, a melhoria na construção de pontes entre os setores público e privado, e estratégias mais efetivas, conclui o estudo.

Programa Tecnova II recebe 93 propostas de inovação

Número representativo de projetos enviados mostra o grande potencial inovador do Paraná. Iniciativa conta com um recurso total de R$ 9,5 milhões

O Governo do Estado do Paraná recebeu 93 submissões de propostas de inovação para o Programa Tecnova II. Através do recurso total de R$ 9,5 milhões, será possível destinar a subvenção econômica de até 25 projetos de inovação tecnológica.

Segundo o coordenador da área de Inovação da Fundação Araucária, Luis Guilherme Brandt Goetzke, o número representativo de projetos enviados demonstram o forte avanço das políticas públicas de inovação do Paraná, mesmo em tempos de pandemia. 

Ele acrescenta que, também foi possível identificar propostas que tenham como base o desenvolvimento de novas soluções que visem o combate e o enfrentamento da pandemia da Covid-19, fazendo jus ao compromisso de geração de riqueza e promoção do bem-estar social assumido pelo Governo do Estado.

As três cidades com mais propostas submetidas para o Programa Tecnova II foram Curitiba, Londrina e Maringá.

O tema que recebeu propostas em maior número foi Tecnologia da Informação e Comunicação, seguido da Metalmecânica/Eletroeletrônica, Agronomia, Saúde e Energias Alternativas.

Das 93 propostas, aproximadamente 12% são voltadas para projetos de pesquisa e inovação que visam contribuir no desenvolvimento de novas soluções com foco emergencial no enfrentamento da pandemia da CovidF-19 e suas consequências, e outras síndromes respiratórias agudas graves. 

Sobre o Tecnova II

O programa tem como objetivo constituir uma oportunidade de projetar o setor produtivo estadual no contexto nacional de incentivo à inovação tecnológica, ao identificar novas ideias e estimular novos talentos, muitas vezes anônimos, presentes no âmbito das micro e pequenas empresas paranaenses.

Executado pela Fundação Araucária e a Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (Finep-MCTI), conta com o apoio das Superintendências Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), Superintendência Geral de Inovação (SGI), do Sebrae/PR e do Senai/PR. 

A GAC Brasil auxilia empresas privadas com estudos de viabilidade, uso otimizado da Lei do Bem e as melhores opções de financiamento para PD&I.

Além de escritório na região Sudeste do país (SP e RJ), estamos presentes no Sul, com escritório em Porto Alegre (RS).

Entre em contato conosco para receber mais informações.

Nossos canais:

E-mail contato@group-gac.com.br

Telefone (11) 4858-9350 e WhatsApp (11) 99221-9019.

Fundep irá aportar até R$ 15 milhões em projetos do Rota 2030

A Fundep (Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa) lançou a nova chamada pública de PD&I da Linha IV – Ferramentarias Brasileiras Mais Competitivas, do programa Rota 2030.  

Serão disponibilizados até R$ 15 milhões para projetos de qualquer instituição de Ciência e Tecnologia (ICT) em parceria com empresas e startups de todo o Brasil. O anúncio foi realizado em Live da Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA).

As empresas poderão fazer aportes no programa e usufruir de benefícios tributários conforme estabelecido no Capítulo III do Decreto n°9.557/2018. A Fundep, por meio da área de Negócios e Parcerias (NP), é responsável pela captação de recursos junto às empresas para exceção das atividades.

A chamada pública está dividida em dois eixos de atuação:

Eixo I: Projetos de aperfeiçoamento e implementação

Voltado para projetos de com TRL mais alta, que começam em 6 a 7, de protótipo em ambiente relevante ou ambiente operacional, partindo para uma aplicação mais prática. “São projetos voltados para resolver um problema, que possui um conhecimento científico mais robusto e preparado para um desafio da indústria”, explica a pesquisadora Ana Paola Villalva Braga, que integra a Coordenação Técnica da Linha IV.

Eixo II: Desenvolvimento a partir de demonstradores

São projetos que vão pegar um caso real, de uma peça em escala real, e reproduzir passo a passo da produção do ferramental, para observar pontualmente quais são os gargalos tecnológicos, de produção e administrativos. “Identificar o que representa custo e o que representa prazo dentro de uma produção ferramental de ponta a ponta”, diz a pesquisadora. O Eixo I terá um aporte financeiro da Fundep de até R$1,5 milhão por proposta e o Eixo II, de até R$ 3,5 milhões por projeto.

O prazo de submissão das pré-propostas vai de 3 a 31 de maio.

Para obter mais informações sobre a atual chamada da Fundep, acesse: https://bit.ly/2QPxYvc.

A GAC Brasil é uma consultoria de referência em gestão estratégica de inovação, que atua com excelência no processo de desenvolvimento e habilitação do programa Rota 2030 na sua empresa.

Assessoramos as empresas na obtenção dos incentivos fiscais relacionados à PD&I, por meio de uma equipe especializada de alto nível.

Deseja receber mais informações sobre o programa Rota 2030 e o setor automotivo?

Entre em contato conosco através dos nossos canais de atendimento.

E-mail contato@group-gac.com.br

Telefone (11) 4858-9350 e WhatsApp (11) 99221-9019.

Utilização de linhas de financiamento pode ampliar expectativa de crescimento no país nos próximos cinco anos

Utilização de linhas de financiamento pode ampliar expectativa de crescimento no país nos próximos cinco anos

Atualmente o Brasil ocupa a 66ª posição no ranking mundial de inovação, mantendo uma expectativa de grande crescimento nos próximos cinco anos. De acordo com um levantamento realizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), 1/3 dos empresários acreditam que o grau de inovação da indústria brasileira será entre alto ou muito alto até 2025.

Um dos principais caminhos para o alcance deste cenário é a utilização por linhas de financiamento. Os editais são de extrema importância para a inovação dentro das indústrias, afinal, as políticas públicas realizadas em conjunto por diversos setores, refletem em uma capacitação de fomento muito maior.

Embora o Brasil ainda trabalhe com poucas linhas de financiamento, há algumas muito importantes, como os editais de referência e grande alcance lançados pela FINEP/MCTI. Entre os editais com maior destaque, estão: R$ 10 milhões para o desenvolvimento de projetos na área de materiais avançados – que obteve uma demanda oito vezes maior do que o esperado, e o edital de R$ 50 milhões em subvenção econômica para tecnologias 4.0 – o qual resultou em uma demanda bilionária.

As empresas que aproveitaram os novos editais lançados neste ano e investiram em inovação, obtiveram um aumento significativo na produtividade. Devido a pandemia, o governo federal abriu principalmente linhas de financiamento direcionadas a soluções relacionadas à crise sanitária, como chamadas públicas de subvenção econômica à inovação lançadas pela Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep) e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) – FINEP/MCTI, Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) e pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Caso necessite de apoio para compreender o identificar e entender o funcionamento das principais linhas de financiamento destinadas ao alinhamento das capacidades inovativas de sua empresa, entre em contato com a GAC Brasil, consultoria especializada em fomento à inovação.

Nossos canais:

E-mail contato@group-gac.com.br

Telefone (11) 4858-9350 e WhatsApp (11) 99221-9019.

Webinar Fomentando a Inovação

O quinto e último episódio, ‘Fomentando a Inovação‘, da série ‘Libere seu potencial de inovação: Desenhando uma estratégia de inovação de ponta a ponta’, vai acontecer na quarta-feira, 07/10, às 14h. Preparamos um conteúdo focado nas necessidades e desafios das empresas e discutiremos as últimas novidades sobre o ambiente de Fomento no Brasil. Por isso, o evento será sensacional!

Vamos apresentar as discussões mais atuais sobre os recursos para a inovação disponíveis no Brasil. Os principais assuntos: as alterações da Lei do Bem em discussão no Senado e de que forma podem impactar positivamente o mercado; os editais da FINEP; o novo tratamento necessário para os recursos do FNDCT, além da visão de nossos convidados especiais sobre estes assuntos e maneiras de benefeciar as empresas com recursos de incentivo à inovação.

Teremos a participação especial de Paulo Alvim, Secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTI (SEMPI). Com a moderação de Rodrigo Miranda, Diretor de Operações da GAC Brasil, e de Durval Garcia, gerente de inovação da GAC Brasil.

A série, que apresentou cinco webinars, tratou dos temas: ‘ISO da Inovação‘, ‘Estruturando a Inovação‘, ‘Gestão da Inovação‘, ‘Inovação Aberta‘ e agora, ‘Fomentando a Inovação‘. 

Esperamos você para celebrar a conclusão deste projeto que trouxe grandes executivos e executivas, empresas e entidades de maior expressão no País, discutindo a inovação em suas melhores possibilidades e práticas.  Klabin, Bracell, Suzano, 3M, Nitro, ANPEI, Instituto SENAI de Inovação, Cristália, Prosegur, Edenred, ENRICH in Brazil, SEMPI/MCTI e The Woodbridge Group são as marcas e entidades que nos prestigiaram, e temos os apoios institucionais da Câmara de Comércio França-Brasil (CCIFB) e da Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras (ANPEI). 

Inscrições limitadas! https://www.even3.com.br/fomentandoainovacao2020

Mas a GAC Brasil não para por aqui! Teremos mais novidades até o final de 2020!

Nos acompanhe no LinkedIn para estar a par do universo de Gestão Estratégica da Inovação, Fomento e Financiamento https://www.linkedin.com/company/gacbrasil

Webinar - SAINDO DA CRISE: Como desenvolver projetos junto ao Instituto SENAI de Inovação, utilizando recursos públicos à inovação.

Na próxima quinta-feira (20/08), às 10h30, realizaremos o webinar em parceria com o Instituto SENAI de Inovação (ISI) em Materiais Avançados e Nanocompósitos (SBC-SP).

O evento será mediado por Durval Garcia, Gerente de Inovação da GAC Brasil, e contará com a palestra de Anderson Maia, Coordenador de Relacionamento com a Indústria e Marketing no SENAI, e de Gustavo Spina, Coordenador de Tecnologia no SENAI.

Este evento é uma continuidade do tema Materiais Avançados, objeto de edital recente da Finep, entidade que realizou webinar conosco no dia 11/08 (terça-feira).

Assista e compreenda como buscar recursos para desenvolver seus projetos de inovação, tanto financeiro quanto de suporte de infraestrutura junto ao SENAI Inovação, que é uma unidade credenciada pela EMBRAPII.

As inscrições estão abertas! Acesse e garanta sua vaga! +